Skip to content

Exames de Covid-19 são realizados pelas leituras de IgG e IgM em Capivari

O município também recebeu testes rápidos do Ministério da Saúde, mas esses só fazem a leitura de positivo e negativo, eles não indicam qual o tipo especifico de anticorpos

A Prefeitura de Capivari adquiriu em abril testes rápidos para detecção da COVID-19, que objetiva realizar a triagem preliminar do COVID-19, detectando anticorpos IgG e IgM para COVID-19.

É um teste combinado desses anticorpos e pode fornecer informações sobre estágio da infecção, desde casos assintomáticos até a fase de convalescência. São utilizados para situações em que o profissional da saúde precisa tomar decisões e agir de forma ágil, além de ser útil para identificar pacientes que obtiveram falso-negativo no resultado de PCR.

Além destes, na última semana, Capivari recebeu testes rápidos distribuídos pelo Ministério da Saúde. Ambos os testes utilizam amostras de sangue capilar ou venoso, e o resultado é verificado após 15 minutos da realização do teste.

Devido as características da infecção pelo SARS-CoV-2, nos primeiros dias após o início dos sintomas os anticorpos não são devidamente detectados. Para atingir valores de sensibilidade de 86%, é necessário que o teste seja realizado após o sétimo dia do início dos sintomas. A realização de testes de detecção de anticorpos contra SARS-CoV-2 permite o retorno dos profissionais de saúde e segurança ao trabalho, e que medidas de isolamento, acompanhamento e intervenção possam ser realizadas com maior acerto.

Em qualquer caso e como medida indiscriminada, o Ministério da Saúde reforça a necessidade dos cuidados de higiene respiratória e distanciamento social.

O resultado do teste isoladamente não confirma nem exclui completamente o diagnóstico de COVID-19. Contudo, em conjunto com as informações clínico epidemiológicas é possível que o resultado do teste seja utilizado para qualificar a decisão dos profissionais.

A equipe da Secretaria de Saúde de Capivari segue a recomendação do Ministério da Saúde, de que pessoas com condições de risco sejam acompanhadas, preferencialmente pelo telefone, até completar 14 dias do início dos sintomas. Ao sinal de piora do quadro clínico é necessária avaliação presencial imediata, para que seja tomada intervenção apropriada em tempo oportuno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content